Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Concluintes do internato em medicina citam o respeito como um diferencial no ensino do HDT-UFT
Início do conteúdo da página
Araguaína

Concluintes do internato em medicina citam o respeito como um diferencial no ensino do HDT-UFT

Por Daianni Parreira | Publicado: Terça, 12 de Junho de 2018, 11h21 | Última atualização em Terça, 12 de Junho de 2018, 11h29

Com intuito de fazer um balanço sobre o semestre, 60 estudantes de medicina da Universidade Federal do Tocantins (UFT) se reuniram após conclusão do internato 2018/1 no Hospital de Doenças Tropicais da UFT, instituição filiada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), instalado em Araguaína (TO). Na ocasião, o consenso mais enfatizado entre os acadêmicos foi o respeito nas relações interpessoais vivenciadas e o cuidado dos profissionais em ensinar.

Durante reunião de encerramento do internato rural 2018-01 (Foto: Daianni Parreira/ HDT-UFT)

Desde o segundo semestre de 2016, quando foi implantado esta modalidade de estágio, após federalização da unidade de saúde, 225 alunos passaram pela experiência. Segundo o chefe do Setor de Ensino, professor Wagner Mariano, a presença dos internos nas dependências do HDT-UFT é fundamental para consolidação do hospital como universitário.

“Os empregados, tanto enfermeiros, médicos e a equipe multidisciplinar em sua rotina diária também vão aprendendo o ofício de preceptoria. Fico lisonjeado em perceber que estamos no caminho certo, muitas coisas precisamos melhorar, mas avançamos muito desde o início das atividades”, destacou.

O estudante Ricardo Mendonça de Paula relatou sobre sua experiência, observando a importância de todas as profissões. “Desde a pessoa que limpa o hospital até os que prescrevem aos pacientes, aqui todo mundo se respeita e se ajuda bastante. É uma equipe que trabalha em sintonia, percebi pessoas comprometidas em ajudar o outro. O respeito é muito importante para a formação do médico, se você chega a um hospital em que você é respeitado e valorizado, o maior beneficiado é o paciente”, disse.

Já Luísa Milhomem ressaltou como ponto fundamental a questão do ensino. “A gente não tinha contato com um hospital com o perfil universitário, os médicos são realmente preceptores; estão preocupados em ensinar e passar um conhecimento, e não que a gente toque o serviço deles; eles contribuem em nossa formação, passam o caso ensinando, sem contar o acesso a casos clínicos muitas vezes não vistos nas outras instituições de saúde, com certeza fará diferença na minha formação profissional”, finalizou.

Sobre a Ebserh

Desde fevereiro de 2015, o HDT-UFT faz parte da Ebserh. Estatal vinculada ao Ministério da Educação, atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do SUS, e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

registrado em:
marcador(es): Araguaína,Home,HDT-UFT
Fim do conteúdo da página