Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Marcadores
Início do conteúdo da página

PDI

Apresentação

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) foi realizado a partir de um diagnóstico realizado em cada câmpus. A análise do cenário interno e externo forneceu elementos para se estabelecer a missão, a visão de futuro e os valores da instituição e para as ações táticas apresentadas agora na matriz do PDI 2016-2020.

Buscamos, na construção deste PDI, materializar as metas em ações a serem atingidas pelas pró-reitorias, estabelecendo cronograma de execução, indicadores para acompanhamento e monitoramento e custo da ação por exercício financeiro. E assim, visualizar os desdobramentos da estratégia definida pela comunidade acadêmica a serem implementados na Universidade.


 

 

 

 

 

 

 

Assistência Estudantil

A Política de Assistência Estudantil da UFT é gerida pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (Proest) constitui-se num conjunto de ações voltadas para a promoção do acesso, da permanência e do êxito dos estudantes, na perspectiva da inclusão social, da produção do conhecimento, da melhoria do desempenho escolar e da qualidade de vida.

A Politica da Assistência Estudantil da UFT é composta pelos seguintes Programas:

  1. Programa de Integração dos Discentes Ingressantes;
  2. Programa Auxílio Alimentação;
  3. Programa de Moradia;
  4. Programa de Transporte;
  5. Programa Auxílio Permanência;
  6. Programa de Esportes, Recreação e Lazer;
  7. Programa de Apoio a Participação dos Discentes em Eventos;
  8. Programa de Avaliação e Acompanhamento;
  9. Programa de Promoção a Saúde;
  10. Programa Auxílio Creche;
  11. Programa de Apoio ao Discente Ingressante.

 

Para o quinquênio 2016-2020, está prevista a realização das seguintes ações: Fomentar e expandir o centro de apoio psicopedagógico em todos os câmpus; fortalecer o setor multiprofissional de assessoria à atividade acadêmica (SEMAC); desenvolver políticas de promoção cultural; implementar ações de atenção à saúde dos estudantes; articular a manutenção da Casa do Estudante com a Universidade e com o estado; manutenção dos serviços de restaurantes universitários; elaborar o Plano de Política de Esportes e Lazer; fomentar projetos de atividades esportivas nos câmpus; realizar seminários com a participação dos estudantes; implementar sistema de bolsas, de mobilidade e de inclusão; desenvolver programa de apoio pedagógico para alunos reprovados ou com risco de reprovação; desenvolver programa de atenção pedagógica a estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades e superdotação; implementar ações de acompanhamento dos egressos, entre outras.

Conheça a Política de Assistência Estudantil e Formação Acadêmica aqui.

Atuação Acadêmica

A UFT oferece cursos de graduação e pós-graduação nas modalidades presencial e educação a distância em sete câmpus, de norte a sul do Tocantins.

Confira nos links abaixo:

 

Comunicação

Do ponto de vista institucional, a comunicação é, sobretudo, um fenômeno transversal que perpassa todas as politicas administrativas e acadêmicas, constituindo-se, portanto, como eixo estratégico de gestão. A Política de comunicação está concretizada no Plano de comunicação da UFT, sob responsabilidade da Diretoria de Comunicação (Dicom) que se utiliza de canais de comunicação interna e externa como o Portal UFT, a Rádio UFT, redes sociais digitais (Youtube (tv web), Twitter, Facebook, Instagram, Linkedin), ouvidoria entre outros.

Vale-se também de recursos gráficos, físicos (impressos) ou digitais, e audiovisuais, tais como cartazes, folders, vídeos etc. para a divulgação e o fortalecimento de sua marca, bem como para a difusão de mensagens institucionais de interesse publico, de forma a complementar informações e conteúdos disponibilizados em outros meios e canais, primando pela transparência e acessibilidade das informações.

Para o dimensionamento e implantação de ações de comunicação com a comunidade externa e interna, foram estabelecidas metas no PDI, tais como: adequação e direcionamento de conteúdos, veículos e canais institucionais de comunicação interna e externa para divulgação de informações da UFT e dos seus cursos; adequação de mecanismos de transparência institucional, da ouvidoria, entre outras; preservação da memória e valorização institucional e da marca UFT.

Conheça a Política de Comunicação da UFT aqui.

Educação Ambiental, Relações Étnico-raciais e Direitos Humanos

As ações voltadas para a sustentabilidade, conforme previsão legal, devem promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino, de maneira a desenvolver uma cultura voltada para a sustentabilidade na sociedade.

No âmbito da Universidade Federal do Tocantins (UFT) a promoção dessas ações visam à inserção de critérios de sustentabilidade e economicidade nas atividades da administração pública, buscando desenvolver métodos que adotem os 5R’s da Agenda A3P (Reduzir, Repensar, Reaproveitar, Reciclar e Recusar produtos que gerem impactos socioambientais), ou seja, voltados para a solução de problemas sociais e ambientais.

A educação das relações étnico-raciais refere-se a processos educativos que possibilitem à superação de preconceitos raciais, estimulando a vivência de práticas sociais livres de discriminação e contribuam para a compreensão da equidade social. Em virtude da marcante diversidade no ambiente universitário, as discussões acerca do papel da educação nas relações étnico-raciais são convergentes com aquela sobre educação e direitos humanos, pois apresentam as especificidades e reivindicações pelo exercício pleno de sua cidadania.

A UFT por meio da implantação de politicas de ações afirmativas busca não só garantir o acesso, mas também a permanência, constituindo-se de relevantes medidas para a implementação do direito a igualdade.

No que diz respeito a essas políticas estão sendo propostas para o período do PDI 2016-2020, as ações em consonância com o Plano de Logística Sustentável da UFT, tais como: projetar e espaços visando atender de forma adequada estação de tratamento de resíduos sólidos e químicos; estruturar os laboratórios existentes para fazer a segregação de resíduos; implantar projetos de arborização urbana e de recuperação de APP em todos os câmpus; realizar campanhas e eventos de conscientização em conjunto com os câmpus, visando melhorar a gestão e economia de água e energia elétrica; elaboração e busca de financiamento para a implantação de energia solar dos câmpus; Estruturar políticas afirmativas de defesa e promoção dos direitos humanos e igualdade étnico-racial que permeie todos os programas ofertados; entre outras.

 

Eixos

Os resultados alcançados no Planejamento Estratégico serviram de base na elaboração do PDI, período 2016 a 2020. Para isso foi confeccionada uma matriz que serviu como base o Instrumento de Avaliação Institucional Externa pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que contempla os cinco eixos do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes).

Dentro de cada Eixo foram definidos seus respectivos objetivos, diretrizes e metas.

  • Eixo Nº 01 – Planejamento e Avaliação Institucional (dimensão Sinaes 8 -Planejamento e Avaliação);
  • Eixo Nº 02 – Desenvolvimento Institucional (dimensões Sinaes 1 – Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional e 3 - Responsabilidade Social da Instituição);
  • Eixo Nº 03 – Políticas Acadêmicas (dimensões Sinaes 2 – Políticas para o Ensino, a Pesquisa e a Extensã, 4 - Comunicação com a Sociedade e, 9 - Políticas de Atendimento aos Discentes);
  • Eixo Nº 04 – Políticas de Gestão (dimensões Sinaes 5 – Políticas de Pessoal, 6 - Organização e Gestão da Instituição e, 10 - Sustentabilidade Financeira);
  • Eixo Nº 05 – Infraestrutura Física (dimensão Sinaes 7 – Infraestrutura Física).

 

Extensão

A extensão universitária na Universidade Federal do Tocantins está alinhada as diretrizes nacionais de extensão, pactuadas desde 1999 pela Politica Nacional de Extensão, pelo consenso e reformulações do Fórum de Pró-reitores das Instituições Federais de Ensino (Forproex), sendo as seguintes: interação dialógica, interdisciplinaridade e interprofissionalidade, indissociabilidade ensino-pesquisa- extensão, impacto na formação do estudante, impacto e transformação social.

Atualmente a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) desenvolve suas ações por meio de programas e projetos institucionais, sendo os seguintes:

  1. Programa de Extensão (PROEXT)
  2. Programa de Acesso Democrático à Universidade (PADU)
  3. Programa Institucional de Bolsas de Extensão da Universidade Federal do Tocantins (Pibex)
  4. Incubadora de Projetos Pedagógicos e Inovação para Escolas de Ensino Fundamental e Médio
  5. Incubadora de Empresas da UFT
  6. Grupo de Apoio a Alunos Estrangeiros (GAE)
  7. Universidade da Maturidade (UMA)
  8. Centro de Línguas
  9. Projeto Rondon
  10. Cineclube;
  11. Café Literário
  12. Corredor Cultural;
  13. Trilhas Tocantinenses
  14. Semanas Acadêmicas.

 

Para o quinquênio (2016-2020), a política de extensão estabelecida pela Proex, considerando o seu papel social, se pautará nos seguintes ações: ampliar a contribuição da UFT à sociedade tocantinense; aprimorar programas de aproximação entre a UFT e iniciativa privada; incentivar a difusão do conhecimento produzido na Universidade para a comunidade na forma de participação em mostras científicas, feiras de ciências, semanas acadêmicas, eventos de consciência étnico-racial, simpósios, fóruns e colóquios; fomentar parceria universidade-escola; articular cursos com temáticas indígenas; entre outras.

Gestão

A Política de gestão está associada às diretrizes e princípios da gestão universitária, sendo as decisões tomadas de forma colegiada nos conselhos superiores (Consuni e Consepe), Conselho Diretor e Colegiados de Cursos para que se estabeleça a base para a governança universitária.

No âmbito do planejamento e avaliação institucional, foram definidas ações que promovem o acompanhamento da evolução acadêmica da UFT como: informatizar sistema de planejamento institucional; institucionalizar orientações para subsidiar o processo de planejamento dos setores e cursos; organizar o processo de planejamento-orçamentário-financeiro: PDO, PAT, LOA; promover o acompanhamento dos indicadores de avaliação dos cursos e institucional; instituir e acompanhar sistema de gestão de riscos; institucionalizar o plano de monitoramento da execução das ações; implantar sistema para regulamentação e modernização da estrutura organizacional; realizar mapeamento de processos com redesenho do fluxo de atividades; entre outras.

Um elemento fundamental para a política do planejamento e desenvolvimento institucional diz respeito à verificação e acompanhamento da evolução, de forma sistemática, dos indicadores de desempenho, para o cumprimento dos objetivos e metas no PDI.

No âmbito da política de pessoal dos servidores docentes e técnico-administrativos, para a promoção de ações de valorização, formação e capacitação, qualificação acadêmica, foram estabelecidas metas a seguir relacionadas: Institucionalização da política de valorização e fixação de servidores; implantação de programas orientados para a melhoria da qualidade de vida dos servidores da UFT; atualização da política de avaliação de desempenho dos servidores; efetivação da implantação da gestão por competências; entre outras.

 

Graduação

A Política de Graduação da UFT está articulada às mudanças exigidas nas instituições de ensino superior dentro do cenário mundial, do país e da região amazônica, considerando as expectativas e as demandas da sociedade e do mundo do trabalho, concebida por meio da formulação de Projetos Pedagógicos com currículos mais dinâmicos, flexíveis, adequados e atualizados, para a formação do cidadão capaz de atuar com autonomia por meio do ensino de graduação, que objetive processos educativos coletivos voltados para a formação técnica, politica, social e cultural dos discentes.

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) tem como objetivo principal discutir e colocar em prática a política acadêmica do ensino de graduação presencial e a distância, visando o alcance das ações acadêmico-administrativas previstas no Plano de Desenvolvimento Institucional da UFT 2016-2020: realizar acompanhamento contínuo dos PPCs dos cursos de graduação da UFT de acordo com as diretrizes curriculares nacionais; apoiar a implantação de política de acessibilidade nos PPCs dos cursos de graduação; garantir a expedição de diplomas; fomentar estratégias para a ampliação dos conceitos da graduação; incentivar a relação entre teoria e prática de ensino, qualificando o estágio supervisionado; fomentar a discussão para análise de implantação de novos cursos de graduação, entre outras.

A PROGRAD desenvolve suas ações por meio da execução e acompanhamento dos programas institucionais, sendo os seguintes:

  1. Profor- Programa de Formação Docente Continuada
  2. PIM- Programa Institucional de Monitoria
  3. Pimi- Programa Institucional de Monitoria Indígena
  4. PMP- Programa de Monitoria Permanência
  5. Life- Programa de Apoio a Laboratórios Interdisciplinares de Formação de Educadores
  6. PET- Programa de Educação Tutorial
  7. PMA- Programa de Mobilidade Acadêmica
  8. Prodocência- Programa de Consolidação das Licenciaturas
  9. PIBID- Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
  10. Padi- Programa de Apoio ao Discente Ingressante

Histórico

PDI 2006 – 2010 - O primeiro PDI teve foco na realidade da UFT, uma universidade com uma estrutura multicampi, atuando em sete câmpus. As ações desenvolvidas nesses primeiros anos da UFT estiveram voltadas para a implantação, estruturação e afirmação da importância da Universidade no Estado do Tocantins.

PDI 2011 – 2015 - O segundo PDI da UFT traduz o planejamento da comunidade acadêmica em relação ao crescimento da Universidade, aponta as ações necessárias para que todos atinjam os objetivos e metas essenciais nesse processo.

PDI 2016 - 2020 - Com base no Planejamento Estratégico desenvolvido pela Reitoria e câmpus, nesse PDI queremos materializar as metas em ações a serem atingidas pelas pró-reitorias, estabelecendo cronograma de execução, indicadores para acompanhamento e monitoramento e custo da ação por exercício financeiro.  Assim, visualizar os desdobramentos da estratégia definida pela comunidade acadêmica a serem implementados.

Missão, Visão e Valores da UFT

Missão

Formar profissionais cidadãos e produzir conhecimento com inovação e qualidade que contribuam para o desenvolvimento socioambiental do Estado do Tocantins e da Amazônia Legal.

Visão

Ser reconhecida nacionalmente até 2022, pela excelência no ensino, pesquisa e extensão.

Valores

Para a promoção da missão a UFT declara e promove os seguintes valores.

  • Respeito à vida e à diversidade
  • Transparência
  • Comprometimento com a qualidade
  • Criatividade e inovação
  • Responsabilidade social
  • Equidade

O que é o PDI?

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) é o documento norteador do planejamento estratégico de uma Instituição de Ensino Superior (IES), no caso a Universidade Federal do Tocantins (UFT). Nele constam as estratégias, objetivos, metas e ações que serão adotadas para se atingir a missão da Universidade.

É no PDI que se encontram as políticas de ensino, pesquisa e extensão, tripé fundador de qualquer instituição de Ensino Superior, trazendo ainda as ações de gestão da Instituição, no que tange à sua organização administrativa, financeira e orçamentária, de infraestrutura e responsabilidade de inclusão social e desenvolvimento.

 

 

 

 

 

PDI 2016-2020

O PDI 2016-2020 foi construído na perspectiva de ser instrumento norteador de toda ação instituída na Universidade nos anos de 2016 a 2020, conduzindo nossos caminhos para atingirmos a missão institucional.

Também servirá de referência para a construção dos Planos Anuais de Trabalho (PAT) de cada Unidade Gestora (pró-reitorias e órgãos complementares), dos Planos Operacionais de cada setor e também na definição do Plano de Distribuição Orçamentária da Universidade (PDO).

Na execução do PDI, busca-se alinhar as ações das pró-reitorias, com as necessidades de cada campus e, assim, trabalhar de forma articulada o cumprimento da missão institucional.

Acesse, abaixo, o PDI 2016-2020 da UFT.

PDI 2016-2020.pdf

Pós-graduação e Pesquisa

A Política para o ensino de pós-graduação da UFT estabelecida pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq) organiza-se em torno de diferentes ações a seguir: Promoção de melhoria na qualidade dos cursos; Sistematização acadêmica com a integração da pós-graduação ao SIE; Internacionalização, com o estimulo para a vinda de alunos estrangeiros, por meio de participação institucional em programas específicos e, também de docentes em eventos internacionais, por meio da concorrência em edital especifico de apoio; Melhoria da produção científica; Apoio da qualificação docente; Oferta e controle de bolsas Capes.

Com relação a pós-graduação lato sensu, atualmente a universidade conta com vários cursos em funcionamento.

No âmbito da pesquisa, procura-se incentivar a inserção da comunidade acadêmica em projetos científicos nacionais e internacionais, por meio de divulgação de editais de pesquisa das principais agencias brasileiras de fomento; acompanhamento dos projetos realizados pelos docentes, cadastro e de relatórios; solicitação de cadastro e manutenção de grupos de pesquisa na Plataforma do CNPq; criação e manutenção de revistas eletrônicas por meio do SEER/IBICT; apoio a eventos científicos nacionais e internacionais; manutenção de programas que fomentam a realização, a divulgação e a publicação de pesquisas cientificas - Auxilio Financeiro para Eventos e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (Pibic); Novos Pesquisadores; Produtividade em Pesquisa.

Responsabilidade Social

A responsabilidade social de inclusão no âmbito econômico e cultural concentram-se majoritariamente na Proex, mesmo sendo de ciência de todos que a responsabilidade social abrange desde questões de ensino até condições físicas de uma IES.  A responsabilidade social da UFT perpassa pela preocupação em torná-la uma instituição inclusiva, com práticas que se voltam para a concretização da equidade social (de gênero e étnica) assim como cursos que pedagogicamente articulem o ensino, pesquisa e extensão, baseados pela interdisciplinaridade, com intuito do desenvolvimento sustentável da Amazônia. 

 As ações extensionistas têm refletido a integração da Instituição com a comunidade externa. Destaca-se também a responsabilidade pelas políticas de auxílio ao desenvolvimento das comunidades de indígenas e quilombolas, atendendo assim de fato à demanda social da região. A extensão universitária, na Universidade Federal do Tocantins, está alinhada às diretrizes nacionais de extensão, pactuada desde 1999 pela Política Nacional de Extensão, expressão do consenso e reformulações do Fórum de Pró-Reitores das Instituições Federais de Ensino (FORPROEX). “A Extensão Universitária é o processo educativo, cultural e científico que articula o Ensino e a Pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre a Universidade e a Sociedade” Destacam-se alguns programas: 

  • Programa Centro de Referência em Cidadania e Direitos Humanos
  • Programa de Criação de Incubadora de Cooperativas Populares e Fomento à Economia Solidária no município de Araguaína/TO
  • Programa Incubadora de Empresas da Universidade Federal do Tocantins (INUFT)
  • Programa de Acesso Democrático a Universidade (Padu)
  • Programa de Acesso Democrático a Universidade para Indígenas e Quilombolas (PADIQ) 
Fim do conteúdo da página