Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Marcadores
Início do conteúdo da página

PDI

Apresentação

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal do Tocantins (UFT) foi realizado a partir de um diagnóstico realizado em cada câmpus. A análise do cenário interno e externo forneceu elementos para se estabelecer a missão, a visão de futuro e os valores da instituição e para as ações táticas apresentadas agora na matriz do PDI 2016-2020.

Buscamos, na construção deste PDI, materializar as metas em ações a serem atingidas pelas Pró-reitorias, estabelecendo cronograma de execução, indicadores para acompanhamento e monitoramento e custo da ação por exercício financeiro. E assim, visualizar os desdobramentos da estratégia definida pela comunidade acadêmica a serem implementados na universidade.

Assistência Estudantil

A Política de Assistência Estudantil da UFT é gerida pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (Proest) constitui-se num conjunto de ações voltadas para a promoção do acesso, da permanência e do êxito dos estudantes, na perspectiva da inclusão social, da produção do conhecimento, da melhoria do desempenho escolar e da qualidade de vida.

A Politica da Assistência Estudantil da UFT é composta pelos seguintes Programas:

  1. Programa de Integração dos Discentes Ingressantes;
  2. Programa Auxílio Alimentação;
  3. Programa de Moradia;
  4. Programa de Transporte;
  5. Programa Auxílio Permanência;
  6. Programa de Esportes, Recreação e Lazer;
  7. Programa de Apoio a Participação dos Discentes em Eventos;
  8. Programa de Avaliação e Acompanhamento;
  9. Programa de Promoção a Saúde;
  10. Programa Auxílio Creche;
  11. Programa de Apoio ao Discente Ingressante.

 

Para o quinquênio 2016-2020, está prevista a realização das seguintes ações: Fomentar e expandir o centro de apoio psicopedagógico em todos os câmpus; fortalecer o setor multiprofissional de assessoria à atividade acadêmica (SEMAC); desenvolver políticas de promoção cultural; implementar ações de atenção à saúde dos estudantes; articular a manutenção da Casa do Estudante com a Universidade e com o estado; manutenção dos serviços de restaurantes universitários; elaborar o Plano de Política de Esportes e Lazer; fomentar projetos de atividades esportivas nos câmpus; realizar seminários com a participação dos estudantes; implementar sistema de bolsas, de mobilidade e de inclusão; desenvolver programa de apoio pedagógico para alunos reprovados ou com risco de reprovação; desenvolver programa de atenção pedagógica a estudantes com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades e superdotação; implementar ações de acompanhamento dos egressos, entre outras.

Conheça a Política de Assistência Estudantil e Formação Acadêmica aqui.

Atuação Acadêmica

 

A UFT oferece cursos de graduação e pós-graduação nas modalidades presencial e educação à distância nos seus sete campus.

Confira nos links abaixo:

 

Comunicação

Do ponto de vista institucional, a comunicação é, sobretudo, um fenômeno transversal que perpassa todas as politicas administrativas e acadêmicas, constituindo-se, portanto, como eixo estratégico de gestão. A Política de comunicação está concretizada no Plano de comunicação da UFT, sob responsabilidade da Diretoria de Comunicação (Dicom) que se utiliza de canais de comunicação interna e externa como o Portal UFT, a Rádio UFT, redes sociais digitais (Youtube (tv web), Twitter, Facebook, Instagram, Linkedin), ouvidoria entre outros.

Vale-se também de recursos gráficos, físicos (impressos) ou digitais, e audiovisuais, tais como cartazes, folders, vídeos etc. para a divulgação e o fortalecimento de sua marca, bem como para a difusão de mensagens institucionais de interesse publico, de forma a complementar informações e conteúdos disponibilizados em outros meios e canais, primando pela transparência e acessibilidade das informações.

Para o dimensionamento e implantação de ações de comunicação com a comunidade externa e interna, foram estabelecidas metas no PDI, tais como: adequação e direcionamento de conteúdos, veículos e canais institucionais de comunicação interna e externa para divulgação de informações da UFT e dos seus cursos; adequação de mecanismos de transparência institucional, da ouvidoria, entre outras; preservação da memória e valorização institucional e da marca UFT.

Conheça a Política de Comunicação da UFT aqui.

Educação Ambiental, Relações Étnico-raciais e Direitos Humanos

As ações voltadas para a sustentabilidade, conforme previsão legal, devem promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino, de maneira a desenvolver uma cultura voltada para a sustentabilidade na sociedade.

No âmbito da Universidade Federal do Tocantins (UFT) a promoção dessas ações visam à inserção de critérios de sustentabilidade e economicidade nas atividades da administração pública, buscando desenvolver métodos que adotem os 5R’s da Agenda A3P (Reduzir, Repensar, Reaproveitar, Reciclar e Recusar produtos que gerem impactos socioambientais), ou seja, voltados para a solução de problemas sociais e ambientais.

A educação das relações étnico-raciais refere-se a processos educativos que possibilitem à superação de preconceitos raciais, estimulando a vivência de práticas sociais livres de discriminação e contribuam para a compreensão da equidade social. Em virtude da marcante diversidade no ambiente universitário, as discussões acerca do papel da educação nas relações étnico-raciais são convergentes com aquela sobre educação e direitos humanos, pois apresentam as especificidades e reivindicações pelo exercício pleno de sua cidadania.

A UFT por meio da implantação de politicas de ações afirmativas busca não só garantir o acesso, mas também a permanência, constituindo-se de relevantes medidas para a implementação do direito a igualdade.

No que diz respeito a essas políticas estão sendo propostas para o período do PDI 2016-2020, as ações em consonância com o Plano de Logística Sustentável da UFT, tais como: projetar e espaços visando atender de forma adequada estação de tratamento de resíduos sólidos e químicos; estruturar os laboratórios existentes para fazer a segregação de resíduos; implantar projetos de arborização urbana e de recuperação de APP em todos os câmpus; realizar campanhas e eventos de conscientização em conjunto com os câmpus, visando melhorar a gestão e economia de água e energia elétrica; elaboração e busca de financiamento para a implantação de energia solar dos câmpus; Estruturar políticas afirmativas de defesa e promoção dos direitos humanos e igualdade étnico-racial que permeie todos os programas ofertados; entre outras.

 

Eixos

Os resultados alcançados no Planejamento Estratégico serviram de base na elaboração do PDI, período 2016 a 2020. Para isso foi confeccionada uma matriz que serviu como base o Instrumento de Avaliação Institucional Externa pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), que contempla os cinco eixos do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes).

Dentro de cada Eixo foram definidos seus respectivos objetivos, diretrizes e metas.

 

  • Eixo Nº 01 – Planejamento e Avaliação Institucional (dimensão Sinaes 8 -Planejamento e Avaliação);
  • Eixo Nº 02 – Desenvolvimento Institucional (dimensões Sinaes 1 – Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional e 3 - Responsabilidade Social da Instituição);
  • Eixo Nº 03 – Políticas Acadêmicas (dimensões Sinaes 2 – Políticas para o Ensino, a Pesquisa e a Extensã, 4 - Comunicação com a Sociedade e, 9 - Políticas de Atendimento aos Discentes);
  • Eixo Nº 04 – Políticas de Gestão (dimensões Sinaes 5 – Políticas de Pessoal, 6 - Organização e Gestão da Instituição e, 10 - Sustentabilidade Financeira);
  • Eixo Nº 05 – Infraestrutura Física (dimensão Sinaes 7 – Infraestrutura Física).

 

 

 

Extensão

A extensão universitária na Universidade Federal do Tocantins está alinhada as diretrizes nacionais de extensão, pactuadas desde 1999 pela Politica Nacional de Extensão, pelo consenso e reformulações do Fórum de Pró-reitores das Instituições Federais de Ensino (Forproex), sendo as seguintes: interação dialógica, interdisciplinaridade e interprofissionalidade, indissociabilidade ensino-pesquisa- extensão, impacto na formação do estudante, impacto e transformação social.

Atualmente a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) desenvolve suas ações por meio de programas e projetos institucionais, sendo os seguintes:

  1. Programa de Extensão (PROEXT)
  2. Programa de Acesso Democrático à Universidade (PADU)
  3. Programa Institucional de Bolsas de Extensão da Universidade Federal do Tocantins (Pibex)
  4. Incubadora de Projetos Pedagógicos e Inovação para Escolas de Ensino Fundamental e Médio
  5. Incubadora de Empresas da UFT
  6. Grupo de Apoio a Alunos Estrangeiros (GAE)
  7. Universidade da Maturidade (UMA)
  8. Centro de Línguas
  9. Projeto Rondon
  10. Cineclube;
  11. Café Literário
  12. Corredor Cultural;
  13. Trilhas Tocantinenses
  14. Semanas Acadêmicas.

 

Para o quinquênio (2016-2020), a política de extensão estabelecida pela Proex, considerando o seu papel social, se pautará nos seguintes ações: ampliar a contribuição da UFT à sociedade tocantinense; aprimorar programas de aproximação entre a UFT e iniciativa privada; incentivar a difusão do conhecimento produzido na Universidade para a comunidade na forma de participação em mostras científicas, feiras de ciências, semanas acadêmicas, eventos de consciência étnico-racial, simpósios, fóruns e colóquios; fomentar parceria universidade-escola; articular cursos com temáticas indígenas; entre outras.

Gestão

A Política de gestão está associada às diretrizes e princípios da gestão universitária, sendo as decisões tomadas de forma colegiada nos conselhos superiores (Consuni e Consepe), Conselho Diretor e Colegiados de Cursos para que se estabeleça a base para a governança universitária.

No âmbito do planejamento e avaliação institucional, foram definidas ações que promovem o acompanhamento da evolução acadêmica da UFT como: informatizar sistema de planejamento institucional; institucionalizar orientações para subsidiar o processo de planejamento dos setores e cursos; organizar o processo de planejamento-orçamentário-financeiro: PDO, PAT, LOA; promover o acompanhamento dos indicadores de avaliação dos cursos e institucional; instituir e acompanhar sistema de gestão de riscos; institucionalizar o plano de monitoramento da execução das ações; implantar sistema para regulamentação e modernização da estrutura organizacional; realizar mapeamento de processos com redesenho do fluxo de atividades; entre outras.

Um elemento fundamental para a política do planejamento e desenvolvimento institucional diz respeito à verificação e acompanhamento da evolução, de forma sistemática, dos indicadores de desempenho, para o cumprimento dos objetivos e metas no PDI.

No âmbito da política de pessoal dos servidores docentes e técnico-administrativos, para a promoção de ações de valorização, formação e capacitação, qualificação acadêmica, foram estabelecidas metas a seguir relacionadas: Institucionalização da política de valorização e fixação de servidores; implantação de programas orientados para a melhoria da qualidade de vida dos servidores da UFT; atualização da política de avaliação de desempenho dos servidores; efetivação da implantação da gestão por competências; entre outras.

 

Graduação

A Política de Graduação da UFT está articulada às mudanças exigidas nas instituições de ensino superior dentro do cenário mundial, do país e da região amazônica, considerando as expectativas e as demandas da sociedade e do mundo do trabalho, concebida por meio da formulação de Projetos Pedagógicos com currículos mais dinâmicos, flexíveis, adequados e atualizados, para a formação do cidadão capaz de atuar com autonomia por meio do ensino de graduação, que objetive processos educativos coletivos voltados para a formação técnica, politica, social e cultural dos discentes.

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) tem como objetivo principal discutir e colocar em prática a política acadêmica do ensino de graduação presencial e a distância, visando o alcance das ações acadêmico-administrativas previstas no Plano de Desenvolvimento Institucional da UFT 2016-2020: realizar acompanhamento contínuo dos PPCs dos cursos de graduação da UFT de acordo com as diretrizes curriculares nacionais; apoiar a implantação de política de acessibilidade nos PPCs dos cursos de graduação; garantir a expedição de diplomas; fomentar estratégias para a ampliação dos conceitos da graduação; incentivar a relação entre teoria e prática de ensino, qualificando o estágio supervisionado; fomentar a discussão para análise de implantação de novos cursos de graduação, entre outras.

A PROGRAD desenvolve suas ações por meio da execução e acompanhamento dos programas institucionais, sendo os seguintes:

  1. Profor- Programa de Formação Docente Continuada
  2. PIM- Programa Institucional de Monitoria
  3. Pimi- Programa Institucional de Monitoria Indígena
  4. PMP- Programa de Monitoria Permanência
  5. Life- Programa de Apoio a Laboratórios Interdisciplinares de Formação de Educadores
  6. PET- Programa de Educação Tutorial
  7. PMA- Programa de Mobilidade Acadêmica
  8. Prodocência- Programa de Consolidação das Licenciaturas
  9. PIBID- Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência
  10. Padi- Programa de Apoio ao Discente Ingressante

Histórico

A Fundação Universidade Federal do Tocantins (UFT) foi instituída pela Lei 10.032, de 23 de outubro de 2000. É uma entidade pública vinculada ao Ministério da Educação destinada à promoção do ensino, pesquisa e extensão, dotada de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, em consonância com o Artigo 207 da Constituição Federal/1988.

 

PDI 2006 – 2010

Nosso primeiro PDI teve foco na realidade da UFT, uma universidade com uma estrutura multicampi, atuando em sete campi. As ações desenvolvidas, nesses primeiros anos da UFT, estiveram voltadas para a implantação, estruturação e afirmação da importância da Universidade no Estado do Tocantins.

PDI 2011 – 2015

O segundo PDI da UFT traduz o planejamento da comunidade acadêmica em relação ao crescimento da Universidade, aponta as ações necessárias para que todos atinjam os objetivos e metas essenciais nesse processo.

PDI 2016 - 2020

Com base no Planejamento Estratégico desenvolvido pela Reitoria e câmpus, nesse PDI queremos materializar as metas em ações a serem atingidas pelas Pró-Reitorias, estabelecendo cronograma de execução, indicadores para acompanhamento e monitoramento e custo da ação por exercício financeiro.  Assim, visualizar os desdobramentos da estratégia definida pela comunidade acadêmica a serem implementados.

Missão, Visão e Valores

Missão

Formar profissionais cidadãos e produzir conhecimento com inovação e qualidade que contribuam para o desenvolvimento socioambiental do Estado do Tocantins e da Amazônia Legal.

Visão

Ser reconhecida nacionalmente até 2022, pela excelência no ensino, pesquisa e extensão.

Valores

Para a promoção da missão a UFT declara e promove os seguintes valores.

  • Respeito à vida e à diversidade
  • Transparência
  • Comprometimento com a qualidade
  • Criatividade e inovação
  • Responsabilidade social
  • Equidade

O que é PDI?

O Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) é o documento norteador do planejamento estratégico de uma Instituição de Ensino Superior (IES), no caso a Universidade Federal do Tocantins (UFT). Nele constam as estratégias, objetivos, metas e ações que serão adotadas para se atingir a missão da universidade.

É no PDI que se encontram as políticas de ensino, pesquisa e extensão, tripé fundador de qualquer instituição de Ensino Superior, trazendo ainda as ações de gestão da instituição, no que tange à sua organização administrativa, financeira e orçamentária, de infraestrutura e responsabilidade de inclusão social e desenvolvimento.

PDI 2016-2020

O PDI 2016-2020 foi construído na perspectiva de ser instrumento norteador de toda ação instituída na Universidade nos anos de 2016 a 2020, conduzindo nossos caminhos para atingirmos a missão institucional.

Também servirá de referência para a construção dos Planos Anuais de Trabalho (PAT) de cada Unidade Gestora (Pró-reitorias e órgãos complementares), dos Planos Operacionais de cada setor e também na definição do Plano de Distribuição Orçamentária da Universidade (PDO).

Na execução do PDI, busca-se alinhar as ações das Pró-reitorias, com as necessidades de cada campus e, assim, trabalhar de forma articulada o cumprimento da missão institucional.

Acesse o PDI 2016-2020 aqui.

Pós-graduação e Pesquisa

A Política para o ensino de pós-graduação da UFT estabelecida pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq) organiza-se em torno de diferentes ações a seguir: Promoção de melhoria na qualidade dos cursos; Sistematização acadêmica com a integração da pós-graduação ao SIE; Internacionalização, com o estimulo para a vinda de alunos estrangeiros, por meio de participação institucional em programas específicos e, também de docentes em eventos internacionais, por meio da concorrência em edital especifico de apoio; Melhoria da produção científica; Apoio da qualificação docente; Oferta e controle de bolsas Capes.

Com relação a pós-graduação lato sensu, atualmente a universidade conta com vários cursos em funcionamento.

No âmbito da pesquisa, procura-se incentivar a inserção da comunidade acadêmica em projetos científicos nacionais e internacionais, por meio de divulgação de editais de pesquisa das principais agencias brasileiras de fomento; acompanhamento dos projetos realizados pelos docentes, cadastro e de relatórios; solicitação de cadastro e manutenção de grupos de pesquisa na Plataforma do CNPq; criação e manutenção de revistas eletrônicas por meio do SEER/IBICT; apoio a eventos científicos nacionais e internacionais; manutenção de programas que fomentam a realização, a divulgação e a publicação de pesquisas cientificas - Auxilio Financeiro para Eventos e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica (Pibic); Novos Pesquisadores; Produtividade em Pesquisa.

Responsabilidade Social

A responsabilidade social de inclusão no âmbito econômico e cultural concentram-se majoritariamente na Proex, mesmo sendo de ciência de todos que a responsabilidade social abrange desde questões de ensino até condições físicas de uma IES.  A responsabilidade social da UFT perpassa pela preocupação em torná-la uma instituição inclusiva, com práticas que se voltam para a concretização da equidade social (de gênero e étnica) assim como cursos que pedagogicamente articulem o ensino, pesquisa e extensão, baseados pela interdisciplinaridade, com intuito do desenvolvimento sustentável da Amazônia. 

 As ações extensionistas têm refletido a integração da Instituição com a comunidade externa. Destaca-se também a responsabilidade pelas políticas de auxílio ao desenvolvimento das comunidades de indígenas e quilombolas, atendendo assim de fato à demanda social da região. A extensão universitária, na Universidade Federal do Tocantins, está alinhada às diretrizes nacionais de extensão, pactuada desde 1999 pela Política Nacional de Extensão, expressão do consenso e reformulações do Fórum de Pró-Reitores das Instituições Federais de Ensino (FORPROEX). “A Extensão Universitária é o processo educativo, cultural e científico que articula o Ensino e a Pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre a Universidade e a Sociedade” Destacam-se alguns programas: 

  • Programa Centro de Referência em Cidadania e Direitos Humanos
  • Programa de Criação de Incubadora de Cooperativas Populares e Fomento à Economia Solidária no município de Araguaína/TO
  • Programa Incubadora de Empresas da Universidade Federal do Tocantins (INUFT)
  • Programa de Acesso Democrático a Universidade (Padu)
  • Programa de Acesso Democrático a Universidade para Indígenas e Quilombolas (PADIQ) 
Fim do conteúdo da página